Cuiabá - MT, 20-08-2022 às 01:41

Justiça Estado do MT a Pagar Cirurgia de Redução de Mamas via SUS

| Creditos:

 

Em decisão inédita, a Defensora de Direitos Humanos Rafaela Rosa Crispim, conseguiu mais uma vitória esta semana em prol de uma aposentada de 49 anos, residente do município de Sinop-MT. Isso porque, em decisão liminar, o Desembargador Mario Roberto Kono de Oliveira, da 2ª Câmara de Direito Público e Coletivo do TJMT, atendeu o pedido liminar e determinou que o estado do Mato Grosso providencie a inclusão da Aposentada na Central de Regulação para realização de Mamoplastia Redutora, que deverá ser realizada em 72 (setenta e duas) horas e em hospital da rede pública de saúde apta a tratar da patologia.

Na ação, a defensora argumentou que a cirurgia plástica reparadora de Redução de Mamas visa assegurar nos casos de mulheres com Hipertrofia/Macromastia Mamária ou Gigantomastia, o direito a saúde plena. Isso porque trata-se de uma doença onde ocorre o crescimento excessivo dos seios, sendo, pois, um procedimento cirúrgico que diminui o tamanho e o volume dos seios, oferecendo uma sensação de alívio para a mulher que sofrem com o peso das mamas.

A Defensora sustentou ainda que, “essas alterações podem ser irreversíveis, caso esse excesso de peso não seja tratado a tempo, pois podem modificar a anatomia da coluna vertebral causando Hernias de disco e desvios na coluna, conforme preconiza a Organização Mundial de Saúde (OMS), CID 10-N62.”

Ao site, a Defensora pontua que a decisão representa uma vitória a todas as mulheres hipossuficientes que aguardam a anos na fila do SUS e que não podem pagar pela cirurgia na rede privada: “A singularidade de cada ser humano não é pretexto para a desigualdade de direitos, principalmente o direito mais fundamental como a vida e a saúde. A tutela dos direitos fundamentais há de ser plena, para que a Constituição não se torne mera folha de papel”.

A.I.: 1010856-57.2022.8.11.0000

 

Deixe seu comentário!

O Jornal Rosa Choque não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Todos os campos marcados com é de preencimento obrigatório.