Cuiabá - MT, 20-08-2022 às 01:35

Pré-candidatas com muito orgulho

Você abraça a luta por maiores espaços para as mulheres na política ou considera que está tudo bem o fato de historicamente o feminino ser pouco-representado nos poderes legislativo e executivo, pelos votos diretos?

Simone Tebet, Rose Modesto, Natasha Slhessarenko, Gisela Simona e Maysa Leão | Creditos: Divulgação

A pergunta no destaque da matéria não quer se calar, mesmo porque muitas representantes  que se lançam na política em níveis local, estadual e nacional sentem-se a parte, na maioria das vezes, num  caminhar quase solitário, assistindo não raramente a uma desleal competição.

As mulheres já se movimentam para o processo eleitoral que se avizinha, como pré-candidatas aos cargos em níveis estaduais e federais. No centro-oeste brasileiro Mato Grosso e Mato Grosso do Sul tem mulheres ousadas que oferecem seus nomes como pré-candidatas no processo eleitoral de 2022. Nesta edição o RCQ, inicia matérias na seção "Mulherem Destaque" sobre o assunto,  enfocando 5 pré-candidatas destes estados, aos cargos nos  poderes executivos e legislativos,  em todas as esferas.

Simone Tebet

A advogada  sul mato-grossense Simone Tebet pretende ser a segunda mulher a conquistar o cargo de  presidente do Brasil. Filiada ao Movimento Democrático Brasileiro-MDB, partido que a elegeu Senadora ela tem o seu nome como pré-candidata do partido  à presidência da República, buscando ascender ao cargo numa campanha centrista, no que esta sendo chamada de terceira via.

Defensora das pautas femininas, com exceção quando o assunto é o aborto, ela já  presidiu a Comissão de Combate à Violência Contra a Mulher e criou o Observatório da Mulher contra a Violência e foi relatora no Senado Federal de importantes propostas que trazem benefícios ao gênero feminino. Já como pré-candidata está focada na macroeconomia e nas politicas públicas  que trazem beneficios ao social, saúde e educação.

Rose Modesto  

Conhecida como professora  Rose é pré candidata ao governo do Mato Grosso do Sul pelo Partido União Brasil. Tem experiência na política partidária, já atuou como vereadora de Campo Grande, entre os anos de 2009 e 2014. Em   2015 foi empossada vice-governadora de Mato Grosso do sul; Em 2016, disputou a prefeitura de  Campo Grande, chegando ao segundo turno sem êxito. Em 2018, foi eleita deputada federal mais votada do estado, e uma das que tiveram maior número de votos no Brasil.

 

Em Mato Grosso

Mato Grosso não tem candidatas majoritárias aos executivos estadual e federal. Cogita-se, entretanto,  que a primeira dama de Cuiabá. Márcia Pinheiro que recentemente se filiou ao Partido Verde, possa ser pré-candidata a vice-governadora numa chapa de oposição ao governo estadual.
Nos preparativos das eleições 2022, Mato Grosso já tem  pré-candidaturas femininas ao Senado, Deputada Federal e Deputada Estadual

Dentre as que já definiram pré-candidaturas encontram-se: Natasha Slhessarenko, ao Senado, pelo Partido da Social Democracia Brasileira-PSDB, Gisela Simona, ao cargo de deputada federal, pelo União Brasil e de Maysa Leão, para deputada estadual pelo Republicanos.

Natasha Slhessarenko 

Natasha Slhessanreko é pré-candidata ao Senado pelo PSB, partido que ela se afiliou em março deste ano. Nunca havia ingressado na política, mas é filha da primeira senadora mato-grossense, a Sery que tem grande história. Honrando a trajetória, segue um caminho próprio. Ela  é médica e empreendedora,  fundadora do Laboratório Cedilab em Cuiabá no ano 2000, uma grande referência. É diretora médica do Laboratório Alta, em São Paulo; diretora  técnica da Clínica Vida em Várzea Grande (MT), que também é uma das fundadoras.

Formada pela UFMT,  da qual hoje faz parte do corpo docente. Ela atua como médica  pediatra e  patologista clínica. Residência em Pediatria e Patologia Clínica – USP. Mestrado e Doutorado – USP.  residente Regional da Sociedade Brasileira de Patologia Clínica; Coordenadora Regional (Centro-Oeste) da Sociedade Brasileira de Pediatria; Membro da Academia Mato-grossense de Medicina;  Conselheira Efetiva do CFM - 2019 a 2024. Valendo destacar que no Conselho participa das Comissões de Comunicação, Assuntos Políticos e de Análise da Resolução nº 2227/18, além das Câmaras Técnicas de Doenças Raras, Segurança do Paciente e Pediatria. Também representa a autarquia em grupos de trabalho nos Ministérios da Saúde, da Mulher, Família e Direitos Humanos e no Ministério da Saúde no Grupo de Operacionalização da vacina contra a COVID-19.  Coordenadora da Câmara Técnica de Doenças Raras do CFM; MBA em Gestão e Políticas Públicas pela FGV em 2020. Faz parte como membro da Comissão de Saúde da Associação de Mulheres de Negócios e Profissionais-BPW Cuiabá. .

Trilhar na política é seu desejo e se prepara para isso. Natasha tem um um currículo que legitima sua grande competência. É uma das três alunas, de Mato Grosso,  da Renovar, Escola de Formação Política no Brasil. 

Gisela Simona

Gisela Simona é pré-candidata a deputada federal pelo Partido União Brasil.  Sua carreira exitosa no Procon de Mato Grosso, no  qual foi superintendente marcou uma trajetória exitosa no funcionalismo público e foi despertada para abra a política. Na sua pauta, os direitos dos consumidores, das mulheres e do servidor público são prioridades.

A pré-candidata iniciou sua carreira na política partidária pelo Pros- Partido Republicano da Ordem Social, do qual foi presidente e disputou  duas eleições, para deputada federal e a Prefeitura de Cuiabá. Em ambas ocasiões teve mais de 50 mil votos, em cada pleito, muito expressivos, mas não se elegeu. Ficou como suplente de deputada e em terceira colocação para a prefeitura.

Neste ano optou juntamente com seu grupo por filiar-se ao União Brasil, recente  partido político, originado da fusão entre o Democratas e o Partido Social Liberal, que em Mato Grosso tem filiados 28 prefeitos, além de 19 vices-prefeitos  e 242 vereadores. Ela, a exemplo da Dra. Natasha, tem buscado aprimoramento no Renovar.

Maysa Leão 

Outro nome que está despontando fortemente na política é o de

Maysa Leão, pré candidata ao cargo de Deputada Estadual  pelo Partido Republicano. Não é estreante, a exemplo de Dra. Natasha na política partidária.  Concorreu a vereadora por Cuiabá, nas últimas eleições municipais, pelo Cidadania, partido que deixou recentemente e com o qual  conquistou a primeira suplência, exercendo mandato por 60 dias.  

Em sua fala passa verdade em relação ao pertencimento das mulheres que hoje estão na ambiência política. Tem demonstrado a importância de cada uma diante da sociedade, sobretudo, evidenciando que "se todas nós trabalharmos juntas, criaremos uma rede de proteção e apoio. Com denúncias nas redes sociais, e por meio dos coletivos femininos. Porque, muitas vezes, a jornada feminina na política é solitária e rodeada de difíceis enfrentamentos".

Como vereadora suplente  por Cuiabá, já deu uma demonstração do que pretende, valendo dizer que quando  assumiu o mandato por 60 dias, em abril  de 2021, fez diferença, ampliando a bancada feminina, nas também  por sua firme atuação.

Nos 60 dias na  Câmara de Vereadores de Cuiabá, apresentou nada menos que  12 projetos de lei, sendo 8 aprovados. Além disso  seu trabalho parlamentar resultou em 16 fiscalizações, uma delas que  descobriu milhões de reais em medicamentos vencidos no Centro de Distribuição de Medicamentos e Insumos, na capital, o que acabou originando a CPI dos Medicamentos. Como filha de médicos ela teve também um olhar cuidadoso para a saúde.

Maysa  é educadora digital, graduada em Moda, especialista em Marketing pela PUC do Paraná, mestre em Tecnologias da Inteligência e Design Digital pela PUC-SP. 

No empreendedorismo teve destaque como empresária de varejo de moda, por 8 anos, co-fundadora do IT Bazar, maior bazar de Varejo do estado de MT, comunicadora digital há 12 anos, criadora do método Somos Digitais, de alfabetização e estratégia em construção de autoridade no ambiente digital, tendo impactado mais de 3.700 alunos. 

Ela é ativista pela erradicação da violência contra meninas e mulheres, pela inclusão de pessoas com deficiência na sociedade, em especial autistas, além de ser co-fundadora da AAPOC - Associação de apoio aos pacientes oncológicos de Cuiabá. 

Deixe seu comentário!

O Jornal Rosa Choque não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Todos os campos marcados com é de preencimento obrigatório.